Case de Sucesso no Hospital Cruz Azul

Case de Sucesso no Hospital Cruz Azul

 

Nascida há mais de 90 anos com o intuito de amparar órfãos e viúvas de Policiais Militares, a Associação Cruz Azul teve, logo em sua concepção, uma estrutura que norteou e serviu de base para transformá-la na grande instituição que é hoje. Formada inicialmente por um grupo maternal composto por um hospital para crianças, uma creche e um jardim de infância, a instituição ganhou espaço ao longo de décadas, cresceu em níveis surpreendentes e se consolidou como uma das maiores organizações filantrópicas oferecendo serviços de saúde e educação do Estado de São Paulo.

Como qualquer outra organização deste tipo, a Cruz Azul precisa planejar muito bem suas ações para não desperdiçar dinheiro e prejudicar o seu objetivo principal: o de ajudar o maior número de pessoas possível, com ética, compromisso social e excelência em um atendimento mais humanizado.  

Nesta luta enfrentada diariamente por essas fundações, os investimentos em melhorias para certas áreas, muitas vezes, acabam sendo adiados indefinidamente, incluindo àqueles voltados para a segurança do seu público. No entanto, como quase nenhuma outra organização filantrópica, a Cruz Azul de São Paulo tem, por obrigação moral devido a sua ligação com uma corporação policial, um compromisso de garantir a proteção de quem está atendendo, seus colaboradores e outros visitantes. Por isso, investimentos e alterações em sistemas eletrônicos são feitos constantemente visando identificar falhas e otimizar os processos internos.

As implementações mais recentes, feitas pela integradora Smart Vision IT, visam uma mudança gradual de sistemas analógicos para uma solução 100% IP com câmeras de alta resolução em um projeto integrado e acessível em nuvem.

A relação entre as companhias começou a partir da instalação de alguns dispositivos em uma das unidades do Colégio PM. “Após uma prospecção rotineira de clientes, ond e apresentamos o nosso book técnico com a demonstração e explicação de cada uma das tecnologias ofertadas, fomos escolhidos para integrar 26 câmeras na unidade do Guarulhos e, a partir dali, sempre com um trabalho de consultoria visando auxiliar nas demandas que surgiam, conseguimos ter abertura também para entrar com projetos em outras unidades das escolas e no Complexo Hospitalar Cambuci”, contou Paulo Ramos, sócio e diretor comercial da Smart Vision IT.

 

Câmeras

Hoje, já são cinco colégios que contaram com a participação da integradora, instalando uma média de 20 à 25 câmeras nas unidades do Centro, Itaquera, Osasco e Talarico, além de Guarulhos. O hospital, por sua vez, já possuía 168 câmeras e está recebendo mais 15 na nova cozinha que está sendo construída. “Há diversas marcas de equipamentos implementados, como Axis e Intelbras, só para citar algumas, mas nós estamos fazendo um trabalho de padronização das câmeras para Hikvision, pois acreditamos ser a melhor solução para a Cruz Azul”, pontua Ramos.

“Por ter trabalhado muitos anos na Pelco e na Axis, acumulei um conhecimento técnico e capacidade de negociação que me diferenciam em relação às outras integradoras, permitindo ponderar e avaliar melhor entre o que é realmente importante e faz diferença quando se fornece um sistema de segurança. Logo nos primeiros contatos que tive com a Hikvision, notei que são equipamentos com bastante qualidade e com custo mais acessível em relação à concorrentes”.

Além disso, outro ponto ressaltado como importante pelo profissional é a robustez e confiabilidade das soluções Hikvision. “Já devo ter instalado mais de 800 câmeras da marca e posso dizer que menos de 10 deram algum tipo de problema até agora. Mesmo nestes casos, o suporte e assistência técnica foram bastante eficientes, as vezes, permitindo realizar a troca expressa do produto através da nossa distribuidora parceira, a WDC Networks”.

Para atender a demanda apresentada pela Cruz Azul, o sistema de CFTV foi projetado e desenvolvido estudando o posicionamento estratégico das câmeras, levando em consideração a abertura de lente e pixel por metro, para que fosse possível diminuir a quantidade de câmeras ao mesmo tempo em que a resolução e a qualidade das imagens aumentam. 

Como parâmetro para a definição de cada modelo que trabalha, Paulo Ramos sempre segue os requisitos mínimos de resolução de 4 megapixels, infravermelho embutido e Wide Dynamic Range (WDR) de 120 dB.

Levando em conta isso, os modelos de câmeras fornecidas pela Smart Vision IT para a Cruz Azul dividem-se entre a dome DS-2CD2142FWD-ID, a bullet DS-2CD2042FWD-I e a mini dome DS-2CD2142FWD-I, implementadas tanto em ambientes internos quanto externos. 

Nas escolas, em geral, esses equipamentos realizam a vigilância de corredores, pátio, ginásio de esportes e salas de coordenação, enquanto no hospital estão espalhadas em entradas, áreas de circulação de público, quartos e áreas de trabalho dos funcionários.

“Na cozinha, em especial, onde estamos instalando essas 15 novas câmeras, houve a exigência de que fossem do tipo dome DS-2CD2142FDW, por não acumularem poeira”, destaca Ramos. “Um hospital tem uma preocupação muito grande com relação ao manuseio de alimento, sua forma de preparo e higienização, o uso de equipamentos corretos por parte dos colaboradores e a presença de pessoas não-autorizadas nesse ambiente da cozinha. Essas câmeras ajudarão a fiscalizar exatamente isso, além de evitar o roubo de estoque”.

 

Infraestrutura de rede e gestão

Sendo muito mais do que apenas uma integradora de segurança eletrônica, a Smart Vision IT também está sendo responsável por construir os pontos de rede da nova cozinha do hospital e por reorganizar parte da estrutura em outros ambientes, integrando a rede de CFTV juntamente àquela já existente no hospital. 

“A Cruz Azul sempre busca por inovações tecnológicas, como um sistema de CFTV atualizado, e outras soluções tecnológicas de ponta para atender as necessidades do complexo hospitalar e da área educacional. Por isso, a instituição está utilizando cabeamento Furukawa Cat6 nas unidades escolares e Cat5e no complexo hospitalar, combinados à switches de rede HP”, pontua Ramos. No hospital, em específico, são dois modelos: um de 24 portas, HP-1920-24G PoE+, e um de 48 portas, HP-1920-48G PoE+. As unidades escolares, por sua vez, variam entre esses dois modelos, conforme a quantidade de câmeras implementadas em cada uma. 

Com a necessidade de monitoramento remoto do sistema de segurança pelos gestores de cada unidade de ensino, Ramos conta que foi imprescindível a escolha de uma plataforma VMS aberta e escalonável, capaz de poder se integrar à outras soluções de segurança além da videovigilância, como sistemas de controle de acesso, por exemplo. 

Segundo o diretor, a Cruz Azul já utilizava o Digifort, mas ainda na versão 6.0, servindo apenas como uma solução de visualização e gravação de imagens. O trabalho realizado pela Smart Vision IT foi o de atualização para a versão 7.2, trazendo muito mais capacidade para o sistema, como os módulos analíticos que agilizam o processo de investigação e conseguem otimizar o desempenho do sistema como um todo. 

 “Quando você coloca o recurso de gravação por detecção de movimento, por exemplo, é possível economizar de 30 a 40% nas necessidades de armazenamento”, pontua. “O Synopsis, introduzido nessa nova versão do software, também trará outro nível na busca por evidências em caso de investigações serem necessárias”.

 

Servidores e storage

Processar as imagens de um parque de mais de 100 câmeras IP em tempo real exige um servidor bastante parrudo com uma grande capacidade de armazenamento para garantir uma operação fluída e eficiente. 

A Smart Vision IT sugere, em casos assim, o uso de soluções que tenha capacidade de escalonamento, como o servidor em rack Dell R730xd, que está sendo estudado para o uso na Cruz Azul.

Suportando até 2 processadores, 16 HDDs de 8 TB cada e com 24 barramentos de memória, é possível começar a implementá-lo com apenas um processador, suficiente para pouco mais de uma centena de câmeras, e aumentá-lo gradativamente para suportar outras centenas, evitando a compra de um outro servidor.

“Hoje, temos um servidor com uma capacidade de storage muito baixa, suficiente apenas para dois dias de armazenamento das câmeras no sistema. Após esse período, as imagens são transferidas para fitas. Caso precisem ser recuperadas, nossa equipe de TI realiza um processo manual muito trabalhoso, incluindo o descarregamento no computador novamente e a busca pelo exato momento do incidente assistindo todo o período correspondente ao horário aproximado do evento”, aponta o tenente Levy Augusto de Souza, chefe da seção de segurança, transporte e estacionamento da Cruz Azul. “Ainda estamos estudando qual a opção trará o melhor custo/benefício para nossa operação e, em breve, com a implementação de um servidor novo e o uso do Digifort, os vídeos poderão ser acessados instantaneamente, com recursos de busca que facilitarão e acelerarão a disponibilização de provas em caso de notificações judiciais.”.

Cruz Azul na Educação

Na área da Educação, a Cruz Azul de São Paulo abriga mais de 11 mil alunos, atendidos nas 11 unidades do Colégio PM em operação na Capital e no interior do estado de São Paulo. Além do colégio, a instituição também oferece cursos profissionalizantes, como auxiliar de enfermagem e cursos técnicos em enfermagem, segurança do trabalho, administração, comércio, logística e contabilidade.

O Colégio PM atualmente trabalha com o Sistema Anglo de Ensino e a cada dia lança novos desafios, não só visando a expansão, mas com o foco constante no aperfeiçoamento, seja pela participação na elaboração do projeto político pedagógico norteador do ensino, ou pela atualização de conhecimentos e competências.

Cruz Azul na Saúde

A estrutura da Cruz Azul se modernizou bastante ao longo destes anos, e muitas reformas, aplicações e inaugurações foram realizadas com a finalidade de oferecer o melhor serviço aos usuários.

Hoje, o que era pra ser apenas uma sede de uma associação de caráter humanitário, se transformou em uma moderna Instituição de Saúde, apta a atender a todas as demandas hospitalares. Por conseguir manter a qualidade desde os primórdios, está entre os melhores hospitais da atualidade.

A equipe é composta por cerca de 3.500 colaboradores e prestadores de serviços, contando também com o apoio de médicos especialistas e, mais de 50 especializações nas áreas de prevenção, diagnóstico e tratamento. Além do Complexo Hospitalar Cambuci, possui mais 9 ambulatórios instalados no Estado de São Paulo e realiza mais de 482 milhões de atendimento por ano, praticando os melhores conceitos da medicina moderna. 

 

Segurança no mundo IP

A Smart Vision IT é uma empresa que traz em seu DNA a expertise de renomados profissionais que já atuaram em grandes empresas da área de segurança eletrônica. Antes de abrir a integradora juntamente aos seus sócios Luciana Camargo de Almeida e Clayton Oliveira Mattos, Paulo Ramon Ramos passou seis anos na Schneider Electric/Pelco, onde chegou ao cargo de diretor de vendas para o Brasil, e outro um ano na Axis Communication, exercendo a função de Country Manager.

Tal histórico, oferece uma visão única e um conhecimento estratégico em termos de abordagem ao cliente final que é difícil de se encontrar em integradoras de pequeno porte. 

“Em todo mercado, os clientes quase nunca têm um projeto de segurança com escopo bem definido. Eles acham que basta comprar uma câmera, instalá-la no canto de um local e tudo estará resolvido”, diz Paulo Ramos. “Com isso, aparecem diversos fornecedores, cada um com um modelo diferente de câmera e, no final, fica difícil para o usuário balizar o que é melhor e mais eficiente. Isso acaba causando um conflito entre o que está no papel e a demanda real do cliente”.

Outra grande dificuldade apontada por Ramos neste novo mundo onde o IP está se tornando o padrão de implementação é a dificuldade de comunicação entre as equipes de segurança e de TI. “Muitas vezes, os departamentos não se conversam ou a equipe de segurança não sabe passar as suas reais necessidades para o TI, fazendo com que os processos acabem atrasando. A consultoria oferecida pela Smart Vision, aliada ao book técnico elaborado para cada projeto, podem trazer o conhecimento necessário para essa comunicação”.

Além disso, a certificação de alto nível dos aproximadamente 15 colaboradores da integradora é um ponto levado muito a sério pelo gestor. “É imprescindível que se tenha conhecimento sobre as normas e especificações que regem o nosso setor. Apesar de ainda não termos normas específicas para instalações de CFTV, há os padrões de instalações elétricas NBR 5410 e as de cabeamento estruturado, por exemplo,que se aplicam a infraestruturas IP e que devem ser estritamente seguidas para garantir a confiabilidade do sistema. Uma equipe mal treinada, não terá a capacidade de garantir esse serviço e é por isso que sempre devemos nos atualizar para oferecer o melhor serviço aos nossos clientes”.

 

Este site usa cookies para armazenar informações no seu dispositivo. Os cookies ajudam nosso site a funcionar normalmente e nos mostram como podemos melhorar sua experiência de usuário. Ao continuar a navegar no site, você concorda com nossa política de cookies e política de privacidade.

Contato